topo








 blurbox.os discos

Think Tank 2003
faixas: "Ambulance", "Out Of Time", "Crazy Beat", "Good Song", "On The Way To The Club", "Brothers & Sisters", "Caravan", "We've Got A File On You", "Morroccan People's Revolutionary Bowls Club", "Sweet Song", "Jets", "Gene By Gene", "Battery In Your Leg"
produção: Norman Cook, Blur, Ben Hillier
comentários: Depois de quatro anos de espera o Blur lança seu sétimo álbum, o primeiro como um trio, já que Graham Coxon deixou a banda no início das gravações do disco.
A falta do guitarrista é facilmente percebida. O disco mistura um pouco do antigo Blur, alegre, pop, diferente do disco anterior (13), com os trabalhos paralelos do vocalista (Mali Music e Gorillaz).
Ele foi gravado em dois lugares: primeiramente, num estúdio em Londres, aonde existia uma webcam mostrando os integrantes e alguns amigos que passaram por lá na hora das gravações. Depois a banda seguiu para Marrakesh, em Marrocos, para adicionar ao disco um pouco da música regional árabe (norte-africana) e finalizar o disco.
Houve muita especulação e rumores em torno do disco, principalmente sobre a produção, que no fim terminou tendo duas faixas produzidas por Norman Cook, mais conhecido como Fatboy Slim, e o resto das faixas sendo produzidas pela própria banda e Ben Hillier, do The Neptunes.
Graham participa do disco em uma canção, "Battery In Your Leg", e acredita-se que a música "Sweet Song" é um recado de Damon para ele.
13 1999
faixas: "Tender", "Bugman", "Coffee & TV", "Swamp Song", "1992", "B. L. U. R. E. M. I.", "Battle", "Mellow Song", "Trailerpark", "Caramel", "Trimm Trabb", "No Distance Left To Run", "Optigan 1"
produção: William Orbit
comentários: O sexto disco do grupo é o primeiro com a produção de William Orbit, o renomado produtor do disco Ray Of Light, da Madonna. Ao contrário do esperado, isso não significou que o Blur abraçou a onda techno como várias bandas o fizeram. Logo de cara temos Tender, música acústica que conta com a participação do London Community Gospel Choir - um hino de 7 minutos. Distorções para todos os lados - Bugman, B. L. U. R. E. M. I., Trimm Trabb; músicas experimentais e de quebra mais uma canção na qual Graham é o vocalista.
Este disco é também o primeiro após a separação de Damon e Justine Frischmann (vocalista do Elastica) - você pode notar farpas do coração despedaçado de Albarn por todo o disco.
Blur 1997
faixas: "Beetlebum", "Song 2", "Country Sad Ballad Man", "M. O. R.", "On Your Own", "Theme From Retro", "You're So Great", "Death Of A Party", "Chinese Bombs", "I'm Just A Killer For Your Love", "Look Inside America", "Strange News From Another Star", "Movin' On", "Essex Dogs"
produção: Stephen Street, Stephen Hague, Blur e John Smith
comentários: O quinto disco leva o nome da banda. Inicia uma nova fase do grupo, na qual o som é mais complicado, cru, distorcido. É nele que está um dos maiores hits dos anos 90, Song 2 - a música do woo-hoo, que está presente em infinitas trilhas sonoras de filme, em jogos de futebol para PC - até mesmo o exército dos Estados Unidos quis comprar a música para lançar seu novo bombardeiro.
The Great Escape 1995
faixas: "Stereotypes", "Country House", "Best Days", "Charmless Man", "Fade Away", "Topman", "The Universal", "Mr. Robinson's Quango", "He Thought Of Cars", "It Could Be You", "Ernold Same", "Globe Alone", "Dan Abnormal", "Entertain Me", "Yuko & Hiro"
produção: Stephen Street, Stephen Hague, Blur e John Smith
comentários: O quarto disco da banda é tratado por eles como o patinho feio da sua discografia. É nesta época que começou sua grande rivalidade com a banda Oasis, e também é nesta época que a banda quase teve o seu fim.
Sua principal música, Country House, teve seu single lançado no mesmo dia que o single Roll With It, do Oasis. No final dessa disputa deu Country House, mas o Oasis acabou vendendo mais discos do que o Blur. Por isso, e pelas más lembranças do quase fim do grupo, eles não gostam muito de tocar músicas desta época em seus shows.
Injustiça. O disco tem pérolas como a própria Country House, The Universal, It Could Be You, Charmless Man. O álbum é o término de uma fase do Blur - nunca mais teremos músicas como Mr. Robinson's Quango, Dan Abnormal ou Fade Away.
Parklife 1994
faixas: "Girls & Boys", "Tracy Jacks", "End Of A Century", "Parklife", "Bank Holiday", "Badhead", "The Debt Collector", "Far Out", "To The End", "London Loves", "Trouble In The Message Centre", "Clover Over Dover", "Magic America", "Jubilee", "This Is A Low", "Lot 105"
produção: Stephen Street, Stephen Hague, Blur e John Smith
Modern Life Is Rubbish 1993
faixas: "For Tomorrow", "Advert", "Colin Zeal", "Pressure On Julian", "Starshaped", "Blue Jeans", "Chemical World", "Intermission", "Sunday Sunday", "Oily Water", "Miss America", "Villa Rosie", "Coping", "Turn It Up", "Resigned", "Commercial Break"
produção: Stephen Street, Steve Lovell, Blur e John Smith
comentários: Sempre dizem que o segundo álbum é decisivo na carreira de uma banda. Modern Life Is Rubbish representou não só um grande fracasso comercial, em parte causado pela ascensão do Suede no mercado, mas também o começo do grande declínio que a banda começou a sofrer com o abuso de drogas e álcool.
As apresentações começaram a ser uma espécie de "freaky show", registradas no vídeo Starshaped, em que Damon, totalmente fora de si, tinha ataques no palco enquanto os outros integrantes mais pareciam zumbis em transe.
É inegável que Modern Life é o disco com levadas mais punks da banda, que o digam Advert, Coping e Popscene que sempre estão presentes em apresentações ao vivo até hoje, e possui ao mesmo tempo algumas músicas mais experimentais como Oily Water.
Muitos fãs acreditam que o disco possui a verdadeira essência do quarteto e o consideram sua obra-prima.
Leisure 1991
faixas: "She's So High", "Bang", "Slow Down", "Repetition", "Bad Day", "Sing", "There's No Other Way", "Fool", "Come Together", "High Cool", "Birthday", "Wear Me Down"
produção: Stephen Street (She's So High e I Know (presente na versão US): Steve Lovell & Steve Power; Wear Me Down e Birthday: Mike Thorne)
comentários: O primeiro álbum da banda foi lançado em Agosto de 91, um ano e meio após a assinatura do contrato com a Food Records. A maior parte das músicas, contudo, já havia sido criada e tocada até a exaustão quando o grupo ainda se chamava Seymour e tocava em pequenos muquifos fétidos pela Inglaterra.
Leisure mostra uma banda ainda imatura, irregular e com uma grande disparidade entre a qualidade do som de seus instrumentistas. Por outro lado, também já revela muitas das características que marcam o Blur até hoje, como a capacidade de não se prender a um só estilo.
Mesmo alcançando o sétimo lugar nas paradas inglesas, a maior parte da crítica não gostou do disco, acusando-o de ser uma porcaria indie psicodélica, uma cópia barata dos Stone Roses e outras coisas do gênero.
"She's so High", primeiro single do disco, gerou uma certa controvérsia, sendo acusado de sexista por conter em sua capa o desenho de uma mulher nua sobre um hipopótamo (retirado de uma pintura dos anos 60 do artista Mel Ramoff). O próprio Damon respondeu a estas críticas dizendo: "Não somos sexistas. Não consigo entender porque está havendo toda essa confusão. É uma piada – certamente isso é óbvio uma vez que tem um hipopótamo nela". O carro-chefe do álbum foi o single seguinte, "There's No Other Way", música que certamente foi a responsável pela revelação da banda e consagração junto ao público inglês. Já o terceiro single, "Bang", é considerado pelos próprios músicos a pior canção já composta por eles.
Vale a pena ainda destacar a discreta capa do disco com a nadadora excessivamente maquiada e sua touquinha de margaridas. Uma verdadeira obra prima kitsch!