topo








 blurbox.depósito.videografia

She's So High
There's No Other Way
There's No Other Way 2
Bang
Popscene
For Tomorrow
Chemical World
Sunday Sunday
Girls & Boys
Parklife
End Of A Century
To The End
Country House
The Universal
Stereotypes
Charmless Man
Beetlebum
Song 2
On Your Own
M. O. R.
Tender
Coffee & TV
No Distance Left To Run
Music Is My Radar
She's So High
direção: Dave Balfe
produção: Liz Flowers (PMI)
resumo: O primeiro clip do Blur é marcado pelo visual antigo da banda (Graham e Damon com cabelo tigelinha, e Alex com cabelo chanel). É marcado por espirais luminosas que ficam aparecendo enquanto a banda toca. Repare que numa parte todos os integrantes cantam a música mas somente Damon e Graham realmente usam a voz.
There's No Other Way
direção: Dave Balfe
produção: Liz Flowers (PMI)
resumo: O clip do primeiro grande hit do Blur é uma reunião de família com um grande almoço. Todos ficam comendo sem parar enquanto Damon canta com cara de desanimado - ainda com o antigo look, tigelinha. Cuidado para não embrulhar o estômago!
There's No Other Way (Mester Ripple - US Version)
direção: Matthew Amos
resumo: A versão do clip de There's No Other Way que passou nos EUA é diferente da normal. Mostra a banda tocando numa sala fechada, com água no chão, e aparecem alguns truques de câmera, do tipo voltar a fita para parecer que Damon ressurgiu da água, quando na verdade ele caiu de cara nela, e também efeitos de - como diz o nome do clip - "Ripple", que é aquele efeito de quando se joga uma pedrinha na água. Todos já cortaram o cabelo.
Bang
direção: Willy Smax
produção: Julian Ludlow (4D Productions)
resumo: Este clip mostra cenas da banda fazendo peraltices por Londres à noite, algumas cenas dentro de uma casa com a gravidade invertida, etc.
Popscene
direção: David Mould
produção: Pete Chambers (Partizan)
resumo: O clip de Popscene mostra a banda tocando numa sala coberta com um carpete misteriosamente parecido com o dos clips de Beetlebum e Song 2. Pequenas cenas são repetidas incessantemente e intercaladamente, dando um efeito engraçado, e fazendo você prestar atenção nas maluquices de Damon, principalmente.
For Tomorrow
direção: Julien Temple
produção: Kirstin Syme (Nitrate UK Limited)
resumo: Este clip é o primeiro "épico" da banda, assim como a música. Mostra algumas cenas da cidade de Londres, com pessoas cantando junto com a música. Reparem no final quando Damon começa a rolar com a menina na grama, no final a cabeça dela está na barriga dele.
Chemical World
direção: Dwight Clarke
produção: Claire Scott Lister (4D Productions)
resumo: Este é um clip tido como um dos mais "fofinhos" da banda. Aparecem os 4 integrantes em cenas da natureza, como campos verdes, cachoeiras, árvores. Também aparecem coelhinhos, caramujos, vacas, etc. Um clip bem bucólico.
Sunday Sunday
direção: Dwight Clarke
produção: Claire Scott Lister (4D Productions)
resumo: O clip tenta mostrar um exemplo de um domingo. É ambientado na frente de um prédio, num jardinzinho e um trailer, passando por ruas, construções, etc. Termina com Damon preparando o almoço. Reparem na hora que a música acelera, eles entram no trailer e ele começa a balançar. Muito estranho.
Girls & Boys
direção: Kevin Godley
produção: James Chord (Media Lab)
resumo: Este clip utiliza efeitos de "cromaqui", que é aquele fundo verde (ou azul) no qual é colocado alguma outra cena que aparece no lugar. A banda toca neste cenário verde e atrás ficam aparecendo cenas de um clube, e também pessoas com camisetas nas quais estão escritas algumas palavras-chave da canção.
To The End
direção: David Mould
produção: Jeremy Bannister (Partizan)
resumo: Este clip é baseado num filme que me fugiu o nome. É uma historinha, toda em preto e branco.
Parklife
direção: Pedro Romhanyi
produção: Steven Elliot (Oil Factory)
resumo: O clip, assim como a música, tem a participação de Phil Daniels. Ele e Damon são vendedores de vidros, que passeiam por bairros de Londres. Detalhe para o Graham vestido de senhor gordo e Alex vestido de mulher.
End Of A Century
direção: Mathew Longfellow
produção: Ceri Levy (Head Film Ltd) / Martin R. Smith (PMI)
resumo: Este clip é gravação de um show do Blur de 1994, no Alexandra's Palace.
Country House
direção: Damien Hirst
produção: Nora Park (Big Talk)
resumo: Country House foi um petardo para a banda, devido a este clip. Ele se passa num tabuleiro de jogo gigante, onde uma pequena historinha se desenvolve de acordo com a letra da música. Alex e Damon ficam perseguindo garotas, cavalgando em porcos, Graham faz o papel de um motorista de ônibus maluco, e o diretor Damien Hirst, na época grande amigo de Alex, faz o personagem principal.
The Universal
direção: Jonathan Gazer
produção: Nick Morris (Academy)
resumo: O visual deste clip é inspirado no filme de Stanley Kubrick, Laranja Mecânica. Todos os integrantes maquiados, de branco, numa festinha chique. Detalhe para o diálogo no meio do clip.
Stereotypes
direção: Mathew Longfellow
produção: Ceri Levy (Head Film Ltd) / Martin R. Smith (PMI)
resumo: O clip usa cenas de um show do Blur no qual eles tocaram Stereotypes - mas a música do clip é a de estúdio.
Charmless Man
direção: Jamie Thraves
produção: Rob Small (Oil Factory)
resumo: A grande participação especial neste clip é o ator Jean Marc Barr (quem viu Dançando no Escuro com a Björk vai achar que já viu dono da fábrica onde Selma trabalhava em algum lugar). Damon e a banda ficam enchendo o saco de Barr até ele resolver se vingar - fracassadamente. Detalhe para Damon sendo empurrado.
Beetlebum
direção: Sophie Muller
produção: Rob Small (Oil Factory)
resumo: Este clip mostra a banda tocando num estúdio, e no fim da música, um pequeno vôo panorâmico sobre a cidade. Um efeito bem legal foi o da câmera balançar quando Graham está tocando sozinho.
Song 2
direção: Stephen Muller
produção: Rob Small (Oil Factory)
resumo: A banda toca numa pequena sala que é invadida por ventos demoníacos que os jogam para a parede, o teto e o chão. Este efeito foi inspirado no desenho japonês Akira.
On Your Own
direção: Sophie Muller
produção: Rob Small (Oil Factory)
resumo: A banda está num lugar que parece ser um subúrbio, inicialmente deserto. Dave embaixo da terra tocando o órgãozinho, Alex com a barba por fazer, Graham grafitando e Damon pulando com um gorro na cabeça e fazendo "garras" com a mão são algumas das cenas memoráveis do clip.
M. O. R.
direção: John Hardwick
produção: Jane Harrison (Activate)
resumo: O clip foi inicialmente feito para ser uma aventura vivida pelos integrantes da banda, mas no fim eles colocaram roupas de ninja e foram usados dublês. Eles fazem todo tipo de loucuras radicais, como subir em lugares altos, perseguições em alta velocidade, etc.
Tender
direção: Grant Gee
produção: Judy Levitus (Hammer & Tongs)
resumo: Outro clip gravado ao vivo, num estúdio, com a participação do London Community Gospel Choir. Em preto e branco.
Coffee & TV
direção: Garth Jennings
produção: Hammer & Tongs
resumo: Um dos clips mais interessantes do Blur, mostra as aventuras de uma caixinha de leite que procura por todo lado o guitarrista do Blur, que está desaparecido. Os atores que fazem a família de Graham são atores famosos da Inglaterra.
No Distance Left To Run
direção: Thomas Vintemberg
produção: Kim Sutherland (Blarke Sonne Levering)
resumo: Outro clip interessantíssimo, mostra os integrantes da banda dormindo, com a ajuda de câmeras que filmam no escuro. É um sono de verdade, nada simulado ou algo engraçado sobre isso - nas palavras de Damon, numa pequena entrevista com os integrantes no começo do clip.
Music Is My Radar
direção: Don Cameron
coreografia: Blanca Li
resumo: Mostra a banda no programa de entrevistas de Steve Lamacq, enquanto dançarinas fazem uma coreografia um tanto inusitada.